O corpo é o nosso primeiro veículo de ligação com mundo, ao outro e a si próprio, antecedendo a linguagem verbal. É através das sensações e percepções do corpo que o recém-nascido organiza, expressa e confere significado à sua existência, permanecendo o sentir biológico no núcleo da sua identidade ao longo da vida, mesmo que inconscientemente.

Deste modo, quando se fala do ser Humano enquanto biopsicossocial, apela-se necessariamente ao modo como estas unidades são inseparáveis e interdependentes, sendo limitada e incompleta qualquer compreensão do indivíduo que não o contemple esta perspetiva.

Assim, partindo do conceito de medicina de ligação, a avaliação e intervenção com cada cliente na clínica OPIN procura assegurar a articulação entre a saúde mental e a saúde física.

Tal implica incluir uma vertente psicossomática - isto é, que contemple a interinfluência contínua entre físico e mental ou, mais precisamente ainda, “metassomática”, isto é, que contemple não apenas esta interacção, mas ainda tudo o que vai para além do físico, do mental, e da própria interacção entre eles.

Fundamentalmente, é transversal à filosofia da clínica OPIN a abertura de múltiplas áreas de conhecimentos médicos e não médicos, tendo como objectivo único uma compreensão o mais completa possível de cada indivíduo, enquanto ser único e intrinsecamente complexo, juntando se necessário, na mesma consulta (consulta multidisciplinar) os várias técnicos envolvidos.